Blog

Educação, família e escola: qual é a responsabilidade de cada um

09/05/2016

Esse tema é bem recorrente e sempre polêmico, afinal, estamos falando de educação… Quem a assume?

O jogo de empurra que aparece entre a família e a escola acaba gerando muitos equívocos, onde o maior prejudicado é o aluno, justamente aquele que deveria ser preservado.

A parceria necessita existir e jamais uma das partes pode se isentar. Parceria é trabalhar em conjunto, não significa desempenhar papéis iguais, mas sim complementares. Essa parceria é falada e desejada por ambas as partes, porém, o professor não costuma receber bem a opinião do pai, que é “leigo” e, por sua vez, os pais estão pouco dispostos a acatar os conselhos sobre como educar seus filhos.

As ações devem ser coordenadas. A família deve procurar a escola que mais se adapte ao perfil daquilo que acredita e vive.  É necessário ter bom senso e cuidado para não confundir os valores que desejam passar para o filho. A escola também precisa deixar claro seu método, princípios e regras. Só assim poderá cobrar uma postura efetiva dos pais.

Percebemos cada vez mais que essa nova geração confunde desejos com direitos. Quem opta por fazer o que quer e gosta, não consegue lidar com frustrações e quer um final com saldos sempre positivos.

Qual é o papel dos pais na tríade educação, família e escola

Cabe aos pais mostrar que existe um caminho e que trilhar esse caminho requer tempo e persistência. Há obstáculos e nem sempre o resultado será positivo. Também é papel dos pais mostrar que existe hierarquia nas relações, o que parece estar esquecido nos dias de hoje. É fundamental preparar os filhos para cumprir regras, horários e saber que é necessário respeitar para ser respeitado e que, além de direitos, temos deveres.

À escola fica reservado o papel de escolarizar, ou seja, instrumentalizar o aluno para resolver problemas matemáticos, redigir textos, fazer experiências, ampliar e rever conceitos entre tantos outros. Claro que o respeito, as regras, limites e obrigações estarão inseridos no dia a dia escolar, mas devem ser vistos como um reforço dos valores já passados pela família.

As famílias, hoje, confundem criar seus filhos com educá-los. Acham que cabe à escola educar, já que pagam e querem resultados. Esquecem que alunos são passageiros e filhos são para sempre.

Voltar