Especialidades

Centro Integrado de Tratamento ao Respirador Oral (Citro)

O que é respirador Bucal?

Respirador bucal é o paciente – criança, adolescente ou adulto – que troca a maneira correta de respirar, que é pelas narinas, por uma forma inadequada, isto é, passa a respirar pela boca (fica com a boca aberta), ou tem uma respiração mista, ou seja, respira um pouco pela boca e um pouco pelas narinas.

Quais são as causas que levam o paciente a respirar pela boca?

Existem várias causas para chegar a ser um respirador bucal. A principal é a não amamentação ao seio e, como consequência, a introdução muito precoce da mamadeira. Outras causas importantes são o Refluxo Gastro Esofágico, alergias alimentares (sendo a principal delas a alergia ao leite de vaca no primeiro ano de vida, seguida pela alergia a clara de ovo; alergias ao ambiente (principalmente a poeira).

Pode-se citar, ainda, o uso prolongado de chupetas, chupar os dedos ou a língua, obstrução mecânica das vias aéreas superiores por desvio de septo, aumento dos cornetos nasais ou das amígdalas e/ou adenóides e deficiência imunológica.

Quais os tipos de respirador bucal?

Respirador Bucal Orgânico: é aquele que tem obstrução mecânica da passagem do ar pelo nariz, causada por:

  • Hipertrofia ou má posição de adenóides
  • Hipertrofia de cornetos
  • Atresia de coanas
  • Hipertrofia de amígdalas
  • Desvio de septo
  • Pólipos nasais
  • Rinite

Respirador Bucal Funcional: é aquele que não tem obstrução mecânica da passagem do ar pelo nariz. Ocorre após cirurgias do item acima, mas ainda mantém as alterações funcionais da face e continua respirando pela boca.

Respirador Bucal Neural: é aquele que por problemas neurológicos sequelares ou congênitos inverteu o padrão de respiração como, por exemplo, no caso da Síndrome de Down e da Paralisia Cerebral.

Quem são os respiradores bucais?

São crianças, adolescentes ou adultos que estão sempre “gripados”, com coriza frequente. São pacientes que roncam durante o sono, apresentam tosse noturna, reclamam de dores de cabeça frequentes, mostram respiração ruidosa e têm infecção de vias aéreas superiores de repetição, muitas vezes com broncopneumonias de repetição. São pessoas mais lentas em suas atividades, dispersas ou distraídas.

Geralmente, vão mal na escola e muitas vezes são agitados, o que impede o bom desenvolvimento de suas atividades diárias. Normalmente são muito agressivos, irritados, dormem mal, tem o sono agitado e apresentam olheiras. A deglutição é inadequada, babam muito, acordam com o travesseiro todo molhado e, às vezes, apresentam déficit auditivo.

Têm alterações de postura, geralmente fechando o tronco. São muito magros ou muito gordos, porque alguns acabam comendo o tempo todo e se tornam obesos e outros, ao contrário, não conseguem se alimentar e se tornam magros, até mesmo desnutridos. Os lábios dos respiradores bucais são entreabertos, ressecados e/ou quebradiços, as gengivas são volumosas e os dentes são projetados para frente.

Como se faz a prevenção?

Através da amamentação ao seio até seis meses de idade, no mínimo. Cuidar com o ambiente onde a criança vive, principalmente, o quarto fazendo uma limpeza completa. Não usar carpete, tirar mosqueteiro, não deixar nenhum bichinho de pelúcia, ou seja, nada que acumule pó.

É possível, ainda, fazer vacina para dessensibilizar à poeira. Por onde iniciar o tratamento do respirador bucal?

O primeiro passo é consultar o médico, no caso de crianças, o pediatra, que irá programar o tratamento conforme a necessidade de cada caso.

Como se trata?

Primeiro, investigando e descobrindo quais foram as causas que levaram o paciente a se tornar um Respirador Bucal e, em seguida, tratando essas causas.

Quem trata o Respirador Bucal?

Uma equipe multidisciplinar composta, principalmente pelo pediatra, otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, ortodontista e psicólogo.

O que faz o Pediatra?

O Pediatra é o primeiro a identificar e a investigar as principais causas que levaram o paciente a se tornar um respirador bucal. Realiza o tratamento clínico necessário, como as alergias alimentares, refluxo gastro-esofágico, alergia do ambiente e a poeira, imunodeficiências e outras causas.

O que trata o Fonoaudiólogo?

O Fonoaudiólogo visa reabilitar a função respiratória, que possibilitará, em decorrência, adequada sucção, mastigação, deglutição e fala, além de tomar a musculatura facial competente para o desempenho dessas funções. O trabalho é realizado através de exercícios musculares e propriocepção, enfocando sempre a motivação e o interesse do paciente.

O que trata o Otorrinolaringologista?

Avaliação das obstruções e o tratamento cirúrgico quando necessário.

O que trata o Fisioterapeuta?

Trata as alterações de postura que apresentam a respiração bucal.

O que trata o Ortodontista?

Trata as alterações dentárias e esqueléticas da face.

O que trata o Psicólogo?

Trabalha os aspectos emocionais e psicológicos, minimizando ansiedade, tensões e bloqueios causados pela respiração inadequada e/ou por fatores diversos, mantém a motivação para o tratamento e fornece apoio necessário ao paciente e a sua família.

O tempo de tratamento depende de cada caso, mas em média é de dois anos. Em alguns casos de seis meses até o final da adolescência.

Qual a consequência de um tratamento eficaz?

Melhorar a qualidade de vida do paciente proporcionando uma face equilibrada, uma respiração normal e um sorriso agradável.

Qual é o grande segredo do sucesso do tratamento?

O grande segredo do sucesso é iniciar a investigação o mais precocemente possível, ou seja, no primeiro momento em que os pais observarem a boca aberta, que o paciente ronca a noite ou está fazendo infecções respiratórias de repetição como rinite, otites, sinusites, asma ou broncopneumonias. Quanto antes iniciar o tratamento, melhores serão os resultados.

Por que foi criado o CITRO?

Porque constatamos um grande número de crianças e adolescentes que respiram pela boca e roncam a noite, quando dormem. Esses pacientes não encontram um local único onde possam realizar o diagnóstico e o tratamento completo das causas e das consequências do problema que é ser um respirador bucal.

Como você pode saber mais sobre o CITRO e o respirador bucal?

Entrando em contato conosco.

Equipe:

Voltar